Saiba como a gestão de benefícios pode favorecer empresas e colaboradores

Ter uma boa gestão de benefícios é essencial para diminuir o turnover e o absenteísmo na empresa, reter talentos e, é claro, manter a equipe motivada e engajada, o que contribui para um melhor desempenho.

Há, hoje, uma série de benefícios obrigatórios e opcionais que funcionam como um trunfo para a empresa que quer ganhar competitividade e colher excelentes resultados a longo prazo. Saber gerenciá-los corretamente afeta diretamente o rendimento dos colaboradores, melhorando a lucratividade e a produtividade. 

Pensando nisso, produzimos este post com tudo o que você precisa saber para melhorar a gestão de benefícios em seu negócio. 

Por que oferecer benefícios?

À primeira vista, os benefícios podem parecer algo que onera a empresa e não faz tanta diferença assim. Mas o bom gestor compreende a importância deles para fazer com que os profissionais se sintam mais valorizados e motivados, se empenhando mais em suas tarefas diárias. Ou seja, o custo acaba sendo revertido em mais produtividade e retornos para a empresa. 

Oferecer bons salários e uma jornada flexível pode ser um atrativo durante o recrutamento, mas uma política sólida de benefícios é o que faz toda a diferença para criar boas condições de trabalho e manter os trabalhadores em sua empresa. 

Investir em benefícios ligados à saúde e bem-estar, como plano de saúde, plano odontológico, auxílio para academia, entre outros, aumenta a qualidade de vida dos funcionários, o que ajuda a estimular suas capacidades físicas e mentais e tornar sua performance no trabalho ainda melhor. 

Além disso, oferecer benefícios atrativos ajuda a diminuir os índices de absenteísmo e a rotatividade na empresa, além de evitar que profissionais fora de série migrem para a concorrência, pois estarão 100% satisfeitos com a empresa. Isso também vale para os novos talentos: com uma política sólida de benefícios, é possível criar um apelo extra e atrair os candidatos mais capacitados nos processos seletivos. 

Quais são os benefícios obrigatórios e quais são opcionais? 

Segundo a legislação trabalhista, existem alguns benefícios obrigatórios, como o vale-transporte, as férias remuneradas, o 13º salário, o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e um adicional noturno para profissionais que trabalham no período entre 22h e 5h da manhã, e para trabalhadores rurais com jornadas entre 21h e 5h da manhã. 

Além desses benefícios, que estão previstos pela CLT, a empresa pode optar por oferecer outros incentivos para servir como fator de motivação e satisfação. Alguns dos benefícios opcionais existentes no mercado são o vale-alimentação e/ou o vale-refeição, os planos de saúde e odontológicos, bolsas de estudo para favorecer a qualificação dos funcionários, auxílio-creche ou convênio com instituições de ensino infantil para profissionais com filhos, e o vale-cultura, um incentivo que pode ser usado para comprar livros ou adquirir ingressos para eventos culturais. 

Os benefícios descritos acima são facultativos à empresa, porém, oferecê-los aos funcionários pode ser uma ótima estratégia para melhorar o clima organizacional e tornar o ambiente de trabalho mais amigável, o que pode refletir em uma melhora no desempenho de todos. Uma boa gestão de benefícios é capaz de perceber que os incentivos não são regalias ou privilégios oferecidos aos trabalhadores, mas um tipo de investimento que pode render ótimos frutos. 

Dicas para realizar a gestão de benefícios de forma eficaz

Não ter uma gestão eficiente dos benefícios fornecidos pela empresa pode trazer prejuízos, como o pagamento de valores indevidos referentes às férias e licenças remuneradas, por exemplo. Esses gastos errôneos podem comprometer o orçamento da empresa e até impedir investimentos futuros. Por isso, confira a seguir como administrar melhor os benefícios em seu negócio. 

Conte com profissionais especializados

Quer você conte com uma equipe interna de RH em sua empresa, quer opte por terceirizar esse serviço, o fato é que uma boa administração dos benefícios é essencial para a conquista de bons resultados. 

Hoje, empresas de todos os portes já contratam instituições especializadas para fazer a gestão de benefícios, o que pode ser ótimo, já que os profissionais dessas organizações têm a qualificação necessária para realizar a gestão. Se você resolver seguir esse caminho, lembre-se de pesquisar bem a reputação das empresas terceirizadas, colher feedbacks de outros clientes, solicitar orçamentos e avaliar a relação de custo x benefício antes de bater o martelo. 

Colete feedbacks sobre a política de benefícios da empresa

Para ter um bom relacionamento com a equipe, é fundamental que o gestor consiga fazer com que o funcionário se sinta parte do negócio. Isso demanda sinceridade e transparência na comunicação, o que envolve a coleta de feedbacks sobre as políticas da empresa, incluindo, é claro, a política de benefícios. 

Os gestores de RH precisam estar aptos a explicar aos profissionais quais benefícios são oferecidos, o que está incluído, quais são os valores envolvidos, e tirar quaisquer dúvidas que surjam. É preciso também contar os motivos pelos quais aqueles incentivos estão sendo oferecidos e detalhar se há algum desconto em folha (caso haja, é necessário informar os valores) ou se a empresa arca com os custos integralmente.

Após fazer todos os comunicados, é importante perguntar a opinião e pedir sugestões, afinal, os trabalhadores são os maiores interessados no sucesso dessa empreitada. Criando um ambiente de confiança mútua entre empregador e empregado, a gestão de benefícios se torna ainda mais eficiente! 

Utilize a tecnologia para se organizar melhor

A automatização de processos é uma tendência na gestão empresarial, e se estende à administração da política de benefícios adotada.

Contar com ferramentas especializadas ajuda a armazenar e analisar os dados de cada funcionário, de modo que o gestor consiga saber que quantias devem ser depositadas para cada colaborador, quais percentuais de desconto devem ser aplicados em cada folha de pagamento, entre outros exemplos. 

 

Que tipos de benefícios você já oferece em sua empresa?