Internacionalização – Sua empresa está pronta para esse desafio?

O gestor corporativo, atualmente, deve estar alinhado com as principais tendências, e informado sobre variáveis que podem decidir o futuro de seu negócio, como a internacionalização de empresas, uma alternativa cada vez mais em voga para garantir vantagem competitiva perante os concorrentes. 

Neste post, vamos explicar o que é a internacionalização, por que as empresas devem encarar esse novo passo para crescer mais, e como se preparar para esse desafio da melhor forma.

O que é internacionalização de empresas?

A internacionalização de empresas é o processo de integração entre uma empresa e territórios de outros países que não sejam sua nação de origem, ou seja, é a expansão de um negócio através do contato com o exterior.

Essa expansão pode ocorrer de duas maneiras: atender ao mercado estrangeiro por meio de exportações, ou investir capital no exterior, por meio da instalação de representações comerciais ou unidades produtivas em países estrangeiros. Outra possibilidade é buscar parceiros em outros países, para viabilizar a geração de projetos de cooperação e de transferência de capital.

Por que sua empresa deveria começar a pensar na internacionalização?

Expandir suas atividades para outros países pode trazer uma série de benefícios para as empresas. Uma das principais vantagens é a conquista de novos mercados consumidores, ainda não explorados pela concorrência. Inclusive, em outro país, é possível apostar no mesmo perfil de consumidor do território nacional, ou explorar novas possibilidades. Ou seja, um novo mundo se descortina para a empresa!

Outro ponto interessante em ganhar novos mercados é a possibilidade de ajustar zonas de sazonalidade e manter a empresa saudável o ano inteiro. Uma época de vendas baixas no país de origem pode ser compensada por um volume maior de transações em países estrangeiros. A empresa passa a depender muito menos das vendas internas, o que confere maior segurança em relação às variações da demanda pelos produtos oferecidos.

Além disso, a internacionalização também ajuda a reduzir custos, uma vez que é possível driblar a alta carga tributária do Brasil. Dependendo do nicho do negócio, o Governo Federal pode até ajudar a viabilizar a exportação, diminuindo certos impostos sobre a produção e comercialização. Por exemplo, as mercadorias comercializadas no exterior não sofrem cobrança dos seguintes impostos: IPI, COFINS, PIS, PASEP, IOF e ICMS.

No que diz respeito ao branding, investir na internacionalização também é um bom negócio, afinal, ao internacionalizar sua empresa, é necessário que a qualidade do valor agregado aos consumidores melhore, caso contrário, não há meios de competir em mercados internacionais. Dessa forma, a marca tem a oportunidade de se tornar uma referência global, o que garante vantagens competitivas: a empresa cria uma imagem benéfica de exportadora, que confere mais segurança em relação aos seus produtos e serviços. 

Como realizar a internacionalização da sua empresa?

O primeiro passo é, sem dúvida, estudar e analisar muito bem o mercado de atuação, afinal, antes de se alçar nessa empreitada, é preciso ter certeza de que o novo mercado tem espaço e demanda para o produto ou serviço que sua empresa oferece. Por isso, mergulhe em pesquisas e avaliações antes de seguir em frente no processo de internacionalização. Nesse processo, também é importante buscar o maior número possível de informações sobre o mercado em que se pretende atuar, identificando os principais concorrentes, suas estratégias e quais oportunidades ainda existem no segmento

Além disso, é fundamental compreender a capacidade real de produção de sua empresa, afinal, quando começar a atuar no novo mercado, tudo indica que o volume de vendas aumentará exponencialmente. Você precisa ter a garantia de que vai dar conta da nova demanda, para manter o prestígio e a confiança do público. 

Também é necessário buscar aporte de capital para iniciar o processo de internacionalização. Isso pode ser feito de várias maneiras. É possível, por exemplo, participar do programa de financiamento do BNDES ou até mesmo fechar parcerias estratégicas no exterior, na forma de joint venture

Outro passo importantíssimo é enquadrar a empresa nos requisitos técnicos e nas leis do país em que pretende atuar. Você vai precisar estar de acordo com a legislação de exportação do país de origem para o seu segmento e a de importação do mercado de destino, e com as especificações exigidas por cada país.

Uma vez que o processo já houver iniciado, uma tarefa importantíssima é traçar estratégias de comercialização, ou seja, criar os planos de ação para viabilizar a operação no novo mercado. 

Por fim, vale ressaltar que é possível contar com os recursos tecnológicos disponíveis para facilitar esse processo. É o caso, por exemplo, de sistemas de gestão de despesa com suporte multimoedas e multi-idiomas, algo essencial quando se envia correspondentes da empresa para atuar no exterior. 

O Rexpense é uma aplicação global, que viabiliza a internacionalização. Com ele, é possível escolher a moeda estrangeira a ser utilizada na despesa e também o idioma da ferramenta: Português ou Inglês. Esses são importantes diferenciais para que a empresa possa atuar com colaboradores em outros países, além de poderem viajar e realizar despesas, garantindo a cobertura em moedas estrangeiras.

Quer conhecer mais sobre as vantagens de usar o Rexpense em sua empresa? Clique aqui e agende uma demonstração com um de nossos consultores